cred
O preconceito é uma cortina de fumaça da verdade.
Elisa Bartlett   (via futurorei)
Purifica o meu coração com o toque do seu amor. Eu não suportaria abrir a janela numa tarde ensolarada e te encontrar com outra pessoa. Te peço pra lembrar das palavras ditas ouvindo ao som do Djavan e o plano de segurar as mãos quando o calabouço nos atrair pelas costas. A gente disse ao outro na última conversa a luz de vela, você olhando em meus olhos e eu sorrindo por ter você comigo, que não há lugar melhor quando nossos corpos se cruzam e o nossos abraços no mesmo embalo. Por isso peço. Não desista de mim. Agora vem cá. Preciso te contar baixinho o motivo do ciúme que interferiu aquele beijo. Foi medo. Lembra da outra vez que eu chorei na sua frente? Foi medo. Medo de perder você. Já deu pra entender que eu desejo trocar alianças no altar? Ou é preciso gritar da montanha russa, citar nas brincadeiras e no soluço do meu choro que o pouco que eu faço pra chamar sua atenção é uma forma de me declarar? Eu não te peço um tempo, peço que espere por mim. Não tenha medo se um certo alguém tentar roubar meu coração enquanto eu te esperar, ele permanecerá fechado a sua espera. Vou fazer a minha parte. Entregar meu coração pra saudade cuidar. Espero que não de asas ao vento pra levar seu coração e deixe alguém roubar. Guarde seu coração para o nosso encontro, juntos vamos aliviar as batidas da saudade e preencher com amor.
Dan Maia (via d-engoso)
Fica bem, mas fica só comigo.
Zeca Baleiro.  (via reinverbos)
E se todo o roubo fosse de beijo?